Inovações em RH

Como a Revolução 4.0 afeta o RH?

geracao4.0-rh
Employer RH
Escrito por Employer RH

Num futuro não tão distante, todas as indústrias vão operar com ferramentas de alta tecnologia. Soluções em nuvem, robôs e máquinas inteligentes farão parte deste novo movimento industrial. Como será a atuação do RH neste cenário? Vamos conhecer um pouco mais sobre o assunto

Se você parar para pensar, é fácil perceber como a tecnologia mudou várias rotinas da sua vida. Falar com alguém que está em outro continente usando voz e vídeo, movimentar a conta bancária pelo smartphone, ouvir aquela música que não sai da cabeça por um serviço de streaming… pequenas facilidades que mudaram a relação das pessoas com o mundo, serviços e com outras pessoas também.

Toda esta tecnologia também já chegou aos negócios: batida de ponto online, folha de pagamento em nuvem, coletor de dados para controlar o trabalho em locais distantes – as soluções da Employer são um bom exemplo de como a Internet das Coisas está cada vez mais perto.

E há muito mais por vir: você já ouvir falar na Revolução 4.0? O conceito é recente e refere-se  às indústrias, tanto que é chamado também de “Indústria 4.0” ou quarta revolução industrial.

Indústria 4.0 para iniciantes: o que vai mudar?

Klaus Schwab, autor do livro “A Quarta Revolução industrial” (publicado em 2016), conta que “estamos a bordo de uma revolução tecnológica que transformará fundamentalmente a forma como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos. Em sua escala, alcance e complexidade, a transformação será diferente de qualquer coisa que o ser humano tenha experimentado antes”. O texto publicado pelo site de notícias BBC é apenas uma prévia daquilo que a indústria deve sentir nas próximas décadas – e que, segundo o autor, já está acontecendo.

No mundo dos negócios, o principal impacto deve ser a completa automatização dos processos fabris realizados nas indústrias. Embora muitos processos atuais sejam executados por máquinas, boa parte da cadeia ainda depende de mão de obra. Menos gente trabalhando em indústrias, mais tecnologia e… menos empregos? Nada disso. A seguir, vamos entender como a revolução 4.0 vai afetar as formas de trabalho.

Quais serão as demandas de trabalho na Indústria 4.0?

Um processo industrial automatizado não é uma novidade. As grandes linhas de produção já funcionam com maquinários específicos, seja uma fábrica de cosméticos, roupas ou chocolates. E ainda há muita gente trabalhando nestas operações.

Segundo a reportagem da BBC, a indústria 4.0 é um projeto de alta tecnologia, que está em desenvolvimento desde 2013 na Alemanha e tem por objetivo levar toda a produção a uma total independência de mão de obra humana. Mas isso só se refere aos processos industriais: “A automatização acontece através de sistemas ciberfísicos, que foram possíveis graças à internet das coisas e à computação na nuvem.  Os sistemas ciberfísicos, que combinam máquinas com processos digitais, são capazes de tomar decisões descentralizadas e de cooperar – entre eles e com humanos – mediante a internet das coisas”.

Ou seja: será preciso gerenciar todos estes processos, algo que continuará nas mãos dos empregados das indústrias. Deve crescer, portanto, a demanda por serviços de TI, operação de sistemas fabris, controle de qualidade; bem como o nível de exigência em relação aos empregados, que devem se adaptar a esta revolução tecnológica para garantir sua atuação no mercado de trabalho.

“Uma pesquisa da consultoria Roland Berger estimou a escassez de mais de 200 milhões de trabalhadores qualificados no mundo, nos próximos 20 anos. Um dos motivos que contribuem para esse cenário é a necessidade cada vez maior de mão de obra qualificada. Técnicos deixarão de exercer funções repetitivas, como o encaixe de uma peça em um smartphone, por exemplo. Isso não significa, porém, que os funcionários serão eliminados das linhas de produção. Eles ficarão concentrados em tarefas estratégicas e no controle de projetos.“
– Revista Exame, junho/2016

Neste contexto, o “empregado do futuro” precisará adaptar-se a novas tecnologias e novos formatos de trabalho. Uma boa dica é começar a preparar-se desde já, com cursos e treinamentos que tenham como foco o aprimoramento profissional voltado para tecnologia e até mesmo o desenvolvimento de carreira em novas áreas de trabalho.

Como será a rotina do RH na Indústria 4.0?

Mais tecnológica, mais ágil e com demandas muito mais relacionadas à gestão de processos e pessoas. Como vai ficar o dia a dia de trabalho do RH no futuro, quando a Indústria 4.0 estiver mais próxima? Veja a seguir alguns insights sobre o que poderemos encontrar no futuro.

– Novas demandas de recrutamento e seleção

Com as indústrias automatizadas, haverá uma mudança significativa nos perfis dos empregados que será preciso contratar. Das vagas operacionais às posições de gestão, tudo estará mais ligado à habilidade em interagir com robôs e máquinas autossuficientes. O mesmo deve acontecer com as demandas sazonais das indústrias. É provável que a mão de obra temporária esteja mais focada em controle de qualidade, por exemplo, ou operação de sistemas específicos, do que na produção propriamente dita.

– Novas formas de contratação de empregados

Imagine que a automatização industrial vai trazer mais agilidade e eficiência aos processos produtivos. É possível que as cargas horárias sejam diferentes daquelas praticadas hoje. Para todo o mercado de trabalho, a promessa é de uma mudança significativa na qualidade de vida: as pessoas trabalharão menos e terão mais tempo para aproveitar seus dias. A BBC compara esta nova era industrial com aquela que vivemos quando a era digital chegou até nós: “A quarta revolução tem o potencial de elevar os níveis globais de rendimento e melhorar a qualidade de vida de populações inteiras. São as mesmas populações que se beneficiaram com a chegada do mundo digital – e a possibilidade de fazer pagamentos, escutar músicas e pedir um táxi a partir de um celular”.

– Maior uso de soluções em nuvem

Soluções em nuvem já fazem parte do dia a dia do RH de muitas empresas. Controlar a folha de pagamento instantaneamente, fazer a batida de ponto online e comunicar-se com os empregados por meio de plataformas online são alguns exemplos, baseados nas soluções oferecidas pela Employer. A tendência é que com a chegada da indústria 4.0 outros processos de RH passem para ambientes 100% online. Exames admissionais, homologação de rescisões, emissão de contratos de trabalho e outras demandas que ainda precisam do papel devem migrar para a nuvem.

– Mudanças na dinâmica de gestão de pessoas

Profissionais com novas habilidades e cargas horárias adaptadas às novas demandas vão exigir outras formas de gestão. O controle poderá ser feito por produtividade e não por horas trabalhadas, a necessidade de estar presente em um escritório pode ser reduzida; e com isso, o RH precisará de ferramentas tecnológicas para acompanhar os novos formatos de trabalho. Será o momento de aderir a soluções que ainda estão por vir e que certamente funcionarão em ambientes 100% online.

Ainda não há previsão para a chegada efetiva da Indústria 4.0 ao nosso país. Mas as empresas podem (e devem) começar desde já a preparar-se para um novo momento de negócios. Conte com a Employer para otimizar o trabalho do RH com tecnologia.

Qual a sua opinião sobre a indústria 4.0? Aproveite nosso espaço de comentários para falar sobre o tema e outros possíveis impactos que afetarão o RH e as empresas.

 

Sobre o autor

Employer RH

Employer RH

Fundada em 1986, a Employer RH é reconhecida pela excelência na prestação de serviços de contratação, gestão, terceirização, administração de mão de obra temporária e de estágios.
É uma empresa de RH que desenvolve projetos de software e serviços online e na nuvem para este setor, como: folha de pagamento, benefícios ao trabalhador, ponto eletrônico, painel do RH, banco de currículos e gestão de cargos e salários.
A matriz localizada em Curitiba, conta com o apoio de mais de 30 filiais que atendem empresas de médio e grande porte de todas as regiões do Brasil.

Deixar comentário.

Share This